O que procura?

Encontre serviços e informações

Cofen condena disseminação de Fake News sobre as eleições e vai responsabilizar os autores

Auditoria atesta integridade e regularidade das eleições nos Conselhos Regionais de Enfermagem

O serviço de checagem de fatos e combate à desinformação do Conselho Federal de Enfermagem (Fact-Checking/Cofen) está investigando a propagação de Fake News relacionadas às eleições dos Conselhos de Enfermagem, realizadas nos dias 1 e 2 de outubro. O Cofen informa que também foi instaurado processo administrativo para apurar a falsa alegação e a origem da informação, e vai acionar a justiça contra os autores.

O Fact-Checking do Cofen identificou nesta quarta-feira (04) uma notícia falsa publicada pelo site www.dalvanamendes.com, na editoria “cidades”, com o título “Indícios de fraudes marcam eleições para os Conselhos de Enfermagem no país” e no endereço https://gilsonvieira.com.br/eleicoes-para-os-conselhos-de-enfermagem-foram-fraudadas-indicam-evidencias-conselho-federal-de-enfermagem/, sob o título “Eleições para os Conselhos de Enfermagem foram fraudadas, indicam evidências Conselho Federal de Enfermagem”. Os textos propagados analisam erroneamente a diferença entre os números de votos e votantes.

Entretanto, o Cofen esclarece que os profissionais de Enfermagem que são inscritos em mais de uma categoria de quadros diferentes (Quadro I e Quadro II/III) poderiam exercer o voto em ambos os Quadros, desde que adimplente em todas as categorias. O quadro I é formado por enfermeiros e obstetrizes, enquanto o quadro II e III representa os técnicos e auxiliares de Enfermagem.

As eleições dos Conselhos Regionais de Enfermagem de 2023 contabilizaram a maior participação da história, com 854.739 votos realizados por 806.006 profissionais de Enfermagem distintos. O número representa a protagonização da categoria na escolha de seus representantes e a transparência do processo democrático.

A eleição foi realizada por uma empresa especializada em Eleições Eletrônicas pela Internet e auditada por duas empresas independentes, especializadas em Auditoria de Procedimentos, Sistemas e Eleições Eletrônicas pela Internet, todas contratadas pelo Cofen através de processo licitatório.

Além disso, foi dada a oportunidade de participação de todas as chapas, nas modalidades presencial e online, no evento denominado “Janela de Transparência”. O evento, que aconteceu antes das eleições, no dia 28 de setembro, proporcionou o entendimento sobre o processo eleitoral, a observação dos testes realizados pelas auditorias e apresentação do código-fonte do sistema.

O Cofen tomará medidas judiciais para combater a desinformação relacionada às eleições e autores serão responsabilizados pela disseminação de informações falsas. Conforme o Código Eleitoral do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem, a divulgação de fatos inverídicos em relação a candidatos ou chapas eleitorais concorrentes às eleições dos Conselhos de Enfermagem constitui infração ética.

Fact-checking – O serviço de checagem de fatos e combate à desinformação relacionados às eleições dos Conselhos de Enfermagem deu ainda mais transparência e fidedignidade ao sistema eleitoral, possibilitando acesso às verificações e informações corretas sobre as eleições e chapas inscritas, permitindo também minimizar o impacto da desinformação sobre a profissão e os Conselhos de Enfermagem. A proposta adapta a metodologia já consagrada de Politifact, em cinco etapas: 1. Recebimento do conteúdo; 2. Identificação da informação a ser verificada; 3. Verificação dos dados e fontes; 4. Identificação de possíveis vieses; 5. Conclusão e relato.

Fonte: Ascom – Cofen

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *